segunda-feira, 2 de novembro de 2015

The Leftovers

Ontem coloquei um livro inusitado em meu e-reader: A Bíblia. Queria reler algumas passagens, motivado pelo episódio final da primeira temporada de The Leftovers. A segunda temporada está sendo exibida atualmente pela HBO.

Na Bíblia, Deus e o Diabo fazem uma espécie de aposta sobre a fidelidade de Jó, o mais devotado dos humanos da Terra. Com o objetivo de testar a lealdade de seu servo, Deus permite que o Diabo tire de Jó tudo o que ele preza - sua família, seus amigos, sua riqueza, sua saúde. Mesmo assim, coberto de escaras, sozinho, mendigando, Jó não abandona sua crença e, no final, Deus restitui tudo o que ele havia perdido.

Em The Leftovers, o policial Garvey é uma especie de Jó às avessas. Assim como na história bíblica, ele perde tudo - sua família e sua sanidade - mas, dessa vez, por intervenção direta de um Deus atuante. Ao contrário de Jó, Garvey é um descrente - tanto do divino quanto de sua própria vida. Antes do arrebatamento, ele não acreditava que a vida "era só isso": sua família, seu trabalho, a rotina, o cachorro que sua mulher tanto quer. Depois do arrebatamento ele continua cético, tentando retomar a rotina, fingindo que nada havia acontecido enquanto caminha para a loucura a passos largos. Garvey é como um Paulo que, tendo a revelação divina, continua a perseguição aos cristãos. Somente no final da temporada ele aceita seu destino e de certa forma tem sua vida reabilitada.

A ideia de sentido para a vida (purpouse) aparece várias vezes e fica clara a metáfora para a busca de significado em nossas próprias vidas. No mundo real, é comum um descrente ouvir a pergunta: "Se não há Deus, qual é o sentido de existir?", como se isso fosse um argumento ou dúvida legítima e não uma ameaça. O arrebatamento reverbera e amplifica a pergunta: "Há Deus, mas ele não gosta de você. Qual é o sentido de existir?". Todo o esforço secular de construir uma existência pacífica e um significado próprio para a vida é roubado, reduzido a pó, quando Deus faz sua seleção e deixa você de fora. A existência tem um significado fundamentado por Deus, mas você não está nos planos. Algumas vidas têm sentido, a sua não.


A revelação da existência do divino em um evento tão inegável funciona como uma verdade desastrosa. Deus não surge para curar ou salvar; para os deixados, ele surge como uma condenação, uma sentença de morte e sofrimento. Não há esperança, não há tempo para se arrepender. O silêncio e o fumo dos Guilty Remnant são a aceitação do desastre. Não há perdão, então não há o que ser dito. O fim definitivo está chegando, e a morte que virá dele será mais terrível e rápida que qualquer câncer de pulmão.

The Leftovers é uma série excelente, mesmo parecendo não saber que história está sendo contada. O perambular aparente também se relaciona com o tema e o alvo da narrativa: The Leftovers é uma história com inspiração bíblica voltada a um público ateu.