segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Twitter

Estava pensando em fechar minha conta no twitter há algum tempo e, semana passada, a sensação ficou mais forte depois de me tocar o quanto, ainda, perco tempo lendo opiniões que a) não me trazem nada de novo e, além disso, b) me deixam irritado.  Uma das minhas resoluções de ano novo foi evitar esse tipo de desperdício de tempo e o consequente desgraçamento da cabeça, então tenho que me policiar mais.

A sensação me veio quando li no Musashi uma passagem que dizia, lembrando de modo grosseiro, "esqueça os galhos, esqueça as folhas, lembre-se do tronco". Não vou postar a passagem toda aqui, mas a ideia é dispensar o supérfluo, o inútil, o vão.

Hoje no carro ouvi na rádio uma música que me fez pensar exatamente no que é o twitter, uma mente multifacetada de polipersonalidades coletivo-discordantes e altamente esquizofrênicas. É um tanto parecida com aquela dos dez mil anos atrás do Raul, mas essa é recente, uma versão de um rock uruguaio, de uma banda chamada Vespas Mandarinas.

Ainda não resolvi fechar minha conta de twitter, mas da música eu gosto:

Já fui ético, antipático, fui poético, fui fanático
Fui apático, fui metódico, sem vergonha, fui caótico
Eu já li paulo coelho, eu já escutei tudo que era conselho
Eu já preguei o evangelho, cheguei a achar que eu era velho

Já fiz tanta coisa que nem me lembro do que eu era contra ou fui a favor
O que me dava prazer, hoje só me dá dor
Nunca aprendi o que é o amor

E ouvi uma voz, que diz: "não há razão"
Você sempre mudando já, não muda mais
E já que estou cada vez mais igual
Não sei o que fazer comigo



5 comentários:

Deh disse...

Assaz, assaz cansativo acompanhar o caudaloso rio de informações, opiniões e especulações virtuais atualmente.

Renata disse...

Concordo com tudo o que você e Deh disseram. E já pensei em sair também. Deletei a conta, fiz outra e diminuí muito o número de pessoas que sigo. Ainda assim a avalanche de besteiras me atinge porque, afinal, estamos no mundo, certo?
Queria só dizer que, apesar de entender, lamento que vocês dois saiam de lá. São dois perfis que adoro, com conteúdos que me divertem e instruem. Fiquem, vai.

(E pronto, acabou a choradeira. Entendo o que decidirem fazer, prometo ;)).

Beijo!

André Taffarello disse...

Obrigado pelo elogio ao perfil, Renata!

Realmente, é como vocês disseram: muita informação, muita coisa chegando, temos que conter de alguma forma (trancando o perfil, saindo da rede, usando menos etc etc)

Acho que abandonar eu não vou, até porque não é muito meu estilo. Mas com certeza vou tentar me policiar mais no uso e evitar abuso :)

Beijos!

Arthur Tavares disse...

Excelente postagem.
Excelente visão.
E muito, muito obrigado mesmo por me apresentar uma banda que - até agora - parece merecer ser ouvida.

André Taffarello disse...

Obrigado, Arthur! Fico muito feliz pelos seus elogios :)