terça-feira, 27 de outubro de 2009

O talentoso Tom Castro

Ontem conversei com alguns amigos sobre pessoas que tomam para si a vida de outras pessoas - visando dinheiro, status, as coisas de sempre. Talentosos Ripleys da vida real, por assim dizer.

Com muitas tentativas e um pouco de paciência consegui encontrar a história de Tania Head, que mentiu por vários anos a muitas pessoas sobre ter sobrevivido aos ataques de 11 de setembro. Tania dizia estar alguns andares acima do ponto de impacto, tendo escapado com queimaduras e lembranças terríveis. Sua história comoveu e cativou os corações de norte-americanos famintos por tragédias, e ela se tornou líder do grupo de sobreviventes. Tania chegou a guiar Rudolph Giuliani pelos escombros das torres.

Depois de algumas informações desencontradas, os jornalistas começaram a juntar A com B e descobriram que, na verdade, o nome dela é Alicia e ela estava em Barcelona no dia dos ataques.

Outra boa história é a do brasileiro que se fazia passar por dono da Gol e que, segundo boatos, chegou a emprestar helicópteros de famosos 'reais' e até a conhecer modelos biblicamente. Sobre isso não consegui encontrar praticamente nada consistente, mas eu me lembro que ele até foi entrevistado pelo Otávio Mesquita.

Mas a história que mais me impressiona é a do falso Sir Roger Tichborne, que aconteceu por volta de 1865. Herdeiro da fortuna de seu pai, Sir Roger morreu em um naufrágio quando voltava do Brasil para reclamar seus direitos. A mãe, desesperada, se recusou a aceitar a morte do filho e mandou recados aos quatro cantos do mundo procurando por ele.

Aí que a coisa fica estranha: aparece um australiano (que na verdade se chama Tom Castro) se dizendo Sir Roger e a mãe do defunto, desesperada, o aceita como filho. Detalhe: Sir Roger só conversava com a mãe em francês, enquanto o impostor não fala uma palavra da língua. Tom era só mais ou menos parecido com Sir Roger. Muitas pessoas o denunciam logo que ele aparece, mas a mãe continua acreditando no impostor. A farsa só se desfaz três anos depois, com a morte de Lady Tichborne.

O que eu fico pensando é... caramba, como é que as pessoas acreditam? Como é que aceitam as inconsistências, não perguntam, aceitam? É medo de encarar a realidade?

E pior, será que eu faria o mesmo?

14 comentários:

D disse...

Algumas pessoas acreditam naquilo que faz bem para elas. Outras naquilo que faz mal. E outras fingem não acreditar em nada.

André T. disse...

Mas pior mesmo são as pessoas que não mudam de assunto.

Deh disse...

Leia "O retorno de Martin Guerre", em uma estante de livros próxima de você. :)

Henrique Rossi disse...

hehehe nossa! Ia comentar o texto atual, mas me desconcentrei com a troca de gentilezas mantida até agora! hehehe

Enquanto lia o texto, lembrei-me do farsante do filme do Spielberg, interpretado pelo Leonardo de Caprio. Aquele também era do balaco-baco! rs..

D disse...

Tem aquelas que mudam de assunto no meio da conversa também! Chatas! :)

André T. disse...

Henrique, esse cara era punk mesmo. Tem vários!
http://en.wikipedia.org/wiki/Impostor

Teve gente se passando até pelo Dalai Lama, o impostor escreveu livro e tudo.

D disse...

É bizarro que "A Cabana" tenha se tornado um sucesso de vendas. Isso só vem mostrar o nível da percepção espiritual que o ser humano pode ter do desconhecido. Comeram cocô. Parei o livro.
(To comentando fora da pauta, só pra você ficar avisado).

André T. disse...

Hehehehe, eu ainda vou ler mais um pouco pra ver se piora mais. Quanto mais eu leio, pior fica. Tou adorando! hahaha

Mariana. disse...

Eu ia comentar, mas ri muito no segundo comentário. Depois que me recuperar eu volto...

PS: detsto ter que copiar aquelas letrinhas tortas pra comentar aqui. Eu sempre erro. =/

Henrique Rossi disse...

Ô André! Você tá se revelando bem estouradinho, hein? Deixou de ser agnóstico? :)

André T. disse...

Desliguei o negocinho chato das letras.

Henrique, o que tem a ver ser agnóstico com não ficar nervoso? Está falando por causa dos comentários no seu blog? Não gosto de ser tratado feito idiota, só isso.

Henrique Rossi disse...

É que, segundo minha estranha teoria, os ateus propriamente ditos são mais estourados que os agnósticos. Então, por ter ficado nervoso hoje, estava pensando cá com meus botões se você havia decidido pular para o lado do mr. Dawkins. rs...

André T. disse...

Hahaha, então você pode concluir que me tornei ateu só temporariamente! hahaha

Mariana. disse...

"segundo a minha teoria"... Francamente...

#SóPraTumultuar.