sábado, 5 de setembro de 2009

De Bombadil, Manhattan e Lamborghinis

(Post com spoilers de 'O Senhor dos Anéis' e de 'Watchmen'. E nerd ao extremo.)

Desde que li 'O Senhor dos Anéis' pela primeira vez, considerei Tom Bombadil um dos personagens mais intrigantes da história. Para quem não leu ou não se lembra, ele é um cara esquisito que está sempre cantando sobre a felicidade, a natureza e sua companheira Fruta d'Ouro. Depois de salvar Frodo do Salgueiro-Homem, Bombadil dá várias pistas sobre poderes que possui sobre o lugar onde vive. Ele se auto-intitula the eldest (o mais antigo) e diz se lembrar da primeira gota de chuva e da primeira bolota.


Estranhamente, o Um Anel não tem poder algum sobre Bombadil. Ele o segura, o coloca em seus dedos por alguns instantes sem ficar invisível, brinca com ele e o devolve a Frodo como se fosse um anel qualquer. Nem mesmo os personagens reconhecidamente poderosos da saga (como Gandalf, Elrond e Galadriel) são imunes ao poder do Anel - muito pelo contrário, ficam terrivelmente tentados por ele.

Em O Senhor dos Anéis, durante o conselho de Valfenda, os participantes cogitam a possibilidade de deixar o Um Anel nas mãos de Bombadil, mas Gandalf acredita que ele não daria ao Anel a importância merecida e acabaria perdendo-o.

----------------------------

O Doutor Manhattan é, em Watchmen, um humano que passou por um acidente envolvendo radiação e ganhou grandes poderes sobre o universo. Ele aparentemente vive em uma realidade quântica, demonstrando capacidades de alterar o tempo e a matéria que o deixam muito além de qualquer humano. Manhattan consegue se teletransportar, teletransportar seus amigos, ver o futuro, controlar a matéria próxima a ele (desintegrando tanques de guerra, por exemplo), estar em vários lugares ao mesmo tempo e se reconstruir do nada.


Uma das partes mais importantes de Watchmen retrata Laurie tentando convencer o Doutor Manhattan a salvar o planeta de uma guerra nuclear inevitável. Na história, ele vence praticamente sozinho guerra do Vietnã, mas desde então tem se afastado dos afazeres humanos cada vez mais.

----------------------------

Obviamente o Doutor Manhattan é muito mais poderoso do que Bombadil, mas os dois guardam relações análogas com suas respectivas histórias. Ambos estão tão distantes, tão 'avançados', que eventos cruciais para os humanos são para eles apenas detalhes. Aparentemente, Bombadil representa a Terra Média em si, um avatar da natureza. Com ou sem Sauron, a Terra Média iria continuar. Para o Doutor Manhattan, a Terra e a humanidade são apenas detalhes de uma história que está sendo contada em todo o universo. "Na minha opinião, a existência de vida é um fenômeno altamente supervalorizado." - palavras dele.

As soluções de nossos problemas são viáveis a personagens como esses, mas eles não se importam com elas. É como se fôssemos formigas pedindo a um humano para que ele trouxesse um cubo de açúcar para nossa rainha.

----------------------------

Talvez Bombadil e Manhattan só apareçam em suas histórias para nos lembrar que, apesar de sermos relativamente poderosos, ainda temos muitos problemas difíceis a resolver. E o pior: só podemos contar com nossa própria capacidade. Os problemas que causamos não desaparecem como mágica. O mundo não vai ser um lugar melhor se todas as famílias resolverem ter 19 filhos. O mundo não vai ser um lugar melhor se todos comprarmos Lamborghinis Murcielagos de 12 cilindros (o pior carro do mundo na relação km/l).



O mundo não vai melhorar se ignorarmos que os problemas existem; também não vai melhorar se esperarmos a solução cair dos céus, ou se acreditarmos que nada do que fizermos irá fazer qualquer diferença.


----------------------------


Uma pequena nota: ouvi de um colega (muito inteligente por sinal, e digo isso sem nenhuma ironia) que mudanças no clima sempre aconteceram e que adiar o aquecimento global é só adiar o inevitável. Disse que é melhor não fazer nada, deixar acontecer. Na hora não consegui pensar em nada para responder, mas agora me veio à mente que 'vamos morrer, é inevitável. Então tomar antibiótico é adiar o inevitável. É melhor não fazer nada, deixar acontecer.'. Tenho certeza de que ele não concordaria com isso.

2 comentários:

Inilein disse...

Realmente variações do clima sempre aconteceram, isso é fato inegável! Mas mesmo assim negar que algo maior está acontecendo, é fechar os olhos para os avanços da ciência neste sentido até agora! A diminuição da camada de ozônio não é algo que não se possa medir... O aumento de CO2 tbem... E pensar que isso não é nada, ou o que cada um pode fazer é muito pouco, é uma maneira cômoda de existir. Infelizmente eu cheguei a ouvir esse tipo de comentário de biólogos! Não gosto de pânico geral por causa dos problemas com o meio-ambiente, mas não fazer nada é demais para meu entendimento.
Gostei do post!
Vc conhece essa propaganda? http://www.youtube.com/watch?v=awMEQVC21vM&feature=related
acho que é perfeita pra mostrar, entre outras coisa, isso...
Bjo

André T. disse...

Oi!

Então, pois é, o post começou de um jeito e terminou de outro, não?

Os americanos não gostaram nem um pouco, mas eu achei bem original esse comercial aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=1IA_H3vYYEs

Com a óbvia ressalva de que o tsunami não é algo causado pela interferência humana :)